descricao

Musical infantil ‘Kuami’, do Núcleo abre caminhos, reflete sobre identidade e faz temporada gratuita nos teatros municipais

 

fotos em alta aqui

 

Grupo buscou fugir dos estereótipos comumente associados à população negra, ligados apenas ao sofrimento

Adaptado do livro “Kuami” (2019, Editora Jandaíra), de Cidinha da Silva, o musical infantil “Kuami - Caminhos Para Identidade, do Núcleo abre caminhos, faz temporadas gratuitas em teatros municipais de São Paulo, sendo o primeiro deles o Teatro Arthur Azevedo nos dias 26 e 27 de março, às 16h. No fim de semana seguinte as apresentações ocorrem no Teatro Flávio Império e no Teatro Cacilda Becker.  A temporada segue até o dia 22 de abril.

Na trama, para encontrar sua mãe, que foi sequestrada, o elefante mirim africano Kuami se junta à amiga Janaina, uma sereia do reino das águas, em uma viagem por céu, terra e mar. Durante a jornada, o protagonista amplia sua visão de mundo. Ao descobrir filhotes diferentes da sua espécie, com outras culturas e cosmogonias, ele percebe a importância de compreender sua identidade e ancestralidade para defender seu direito de existir. 

O fio condutor da narrativa é a música, que reflete a busca dos vários personagens por suas raízes. Por isso, o grupo fez uma ampla pesquisa em sonoridades afro-brasileiras, usando como referências os ritmos samba, coco, pagode, barravento e outros que remetem a esse universo.   

No elenco estão Adriana Miranda, Cynthia Regina, Piu Guedes e Ulisses Dias. A direção geral é de Martinha Soares e a direção e a preparação musical são assinadas por Valquíria Rosa. Os músicos são Victor Motta e Tahyná Oliveira.

 

SINOPSE

Em uma jornada musical, o elefante mirim africano Kuami e sua amiga Janaina, uma sereia do reino das águas, viajam juntos em uma aventura entre terra, céu e mar à procura da mãe de Kuami, que foi sequestrada. A música é o fio condutor da narrativa entre esses reinos e animais, que buscam encontrar suas raízes a partir de ritmos ancestrais.

 

SOBRE O NÚCLEO ABRE CAMINHOS

O Núcleo abre caminhos, formado por Adriana Miranda, Cynthia Regina, Piu Guedes e Ulisses Dias, nasceu no ano de 2019 a partir do encontro desses integrantes no curso de dramaturgia da Escola Livre de Teatro de Santo André. Instigades pelos materiais sobre teatro negro e a importância de construirmos contra narrativas, formamos o núcleo para ser nosso projeto coletivo de pesquisa cênica e dramatúrgica onde pudéssemos construir outros imaginários e novas perspectivas de futuro.

 

A IMPORTÂNCIA DO PERTENCIMENTO

A proposta do Núcleo abre caminhos foi construir um espetáculo antirracista, capaz de descontruir os estereótipos associados à população negra, ligados sobretudo à dor. “Gostaríamos de mostrar uma infância feliz, bonita, amistosa, algo além do sofrimento e dessas questões que o racismo evoca e nos toca todos os dias”, conta Cynthia Regina, uma das artistas criadoras da peça. 

Nesse sentido, a obra “Kuami” se encaixa perfeitamente no desejo do grupo de construir contra narrativas e fomentar novos imaginários e perspectivas de futuro. “Cidinha costura uma história com personagens representativos, faz crítica à exploração irracional da natureza e às formas contemporâneas de escravidão, nos deixando uma lição de luta através do afeto”, comenta Ulisses Dias, outro dos artistas criadores. 

Para Cynthia, mais importante do que falar explicitamente sobre racismo, é abordar questões relativas ao pertencimento e ao acolhimento. “Todos os nossos personagens são negros e ajudam no resgate da mãe de Kuami, que está em uma situação análoga à escravidão. Então, tratamos a questão racial de um jeito sutil. Na verdade, existe um quilombismo, uma força de união dessas pessoas por um bem maior: para salvar alguém que também faz parte dessa comunidade”, afirma. 

O Núcleo abre caminhos acredita que o indivíduo só consegue se sentir efetivamente parte da sociedade quando se vê nos espaços de poder. Assim, torna-se urgente a criação de outras narrativas, para que as crianças consigam visualizar novas realidades possíveis.  

“A comunidade negra vive para além do racismo. Essa resistência que a gente traz historicamente tem um espaço também de vitórias. Com essa peça, queremos falar que estamos vives, lutando. Estamos unides e estamos todes aqui como uma grande irmandade”, acrescenta a artista.  

 

FICHA TÉCNICA
Artistas criadores: Adriana Miranda, Cynthia Regina, Piu Guedes e Ulisses Dias
Direção Geral: Martinha Soares
Direção e preparação musical: Valquíria Rosa

Músicos: Victor Motta e Tahyná Oliveira
Arranjos Musicais: Victor Motta, Tahyná Oliveira e Valquíria Rosa
Composições Musicais: Adriana Miranda, Cynthia Regina e Piu Guedes
Preparação vocal: Rodrigo Mercadante
Provocadora de processo: Patrícia Gifford
Dramaturgismo: Adriana Miranda, Cynthia Regina, Piu Guedes, Ulisses Dias (Núcleo Abre Caminhos)
Adaptação de texto: Daniel Veiga

Texto original: Cidinha da Silva
Iluminação: Rager Luan
Figurinista e aderecista: Felipe Cruz

Cenografia: Giorgia Massetani
Apoio: Espaço Clariô de Teatro e Centro de Referência da Dança

Produção: Corpo Rastreado - Jack dos Santos
Designer: Rafael Cristiano

 

SERVIÇO
Kuami - Caminhos Para Identidade
Classificação: Livre Recomendação: a partir de 7 anos


Teatro Arthur Azevedo
Endereço: Av. Paes de Barros, 955 - Alto da Mooca Lapa - São Paulo - SP
26 e 27 de março, sábado e domingo, às 16h

Teatro Flávio Império
Endereço: R. Prof. Alves Pedroso, 600 - Cangaíba - Lapa - São Paulo - SP
Dias 30 de março, 1º, 06, 13, 20 e 22 de abril, às quartas e sextas, às 10h

Dias 09 e 10 de abril, aos sábados e domingos, às 11 e às 15h

Teatro Cacilda Becker
Endereço: R. Tito, 295 - Lapa - São Paulo - SP
Dias 27/04, às 10h30, 30/04 e 01/05, às 16h, 03/05, às 10h30 e às 14h30, 04/05, às 10h30 e 07 e 08/05, às 16h

 

Informações à imprensa 
Canal Aberto Assessoria de Imprensa

Márcia Marques - 11 9 9126 0425
marcia@canalaberto.com.br 
Daniele Valério - 11 9 8435-6614
daniele@canalaberto.com.br
www.canalaberto.com.br